Lembre-se dos seus avós

Estava eu aqui, pensando sobre o que escrever nesta sexta-feira; algo relevante, interessante e gostoso de ler. Pensei sobre alguns temas que tenho rabiscado aqui, porém ainda não consegui desenvolver; quando de repente recebi uma ligação na minha mesa. Um velhinho, Seu Atan.

GrampaNo auge de seus 80 anos, Seu Atan mora no maravilhoso Rio de Janeiro, na Barra da Tijuca, de frente pro mar. Nascido em Porto Alegre, jogador de golfe e de uma gentileza tocante. Não tem computador, graça a Deus, segundo ele. Apesar de não entender muito sobre futebol é torcedor do Internacional, o que nos fez descobrir uma mesma opinião; a churrascaria que está localizada no estádio do colorado é incrível. Já estive lá. Por coincidência, minha família por parte de mãe é do Rio Grande do Sul. Visitei a churrascaria numa das viagens a POA, com minha avó e um tio meu que mora na cidade, tio Érico. Colorado fervoroso, desembargador famoso em todo o estado, de uma família tradicional do direito, que Seu Atan, também advogado, felizmente conhece.

Isso tudo trouxe lembranças da minha infância, dos meus avós e de uma família que pouco vejo, devido a distância. Em poucos minutos de conversa, esse senhor abriu gentilmente sua vida pra mim, uma voz desconhecida, mas interessada em dedicar um tempinho pra alguém que com certeza teria muito prazer em contar as histórias lindas que marcaram sua vida. Que honra.

Grampa Me emocionei, confesso que estou emocionada até agora, pensando quantos velhinhos tiveram uma vida grandiosa e gostariam de dividir suas experiências por ai. Os meus eram assim, e morro de saudade de sentar pra ouvir suas memórias. Aquela história que todo comerciante conta, pessoas de idade fazem compras ou vão a estabelecimentos, às vezes, só para ter com quem conversar. Tenho certeza que os filhos de Seu Atan lhe dão muito carinho e atenção, inclusive seus netos; percebi pelo orgulho com  que ele me contou sobre cada um. Mesmo assim, ele se sentiu bem em conversar um minutinhos comigo. Carinho faz falta.

Meu recado é pra você que tem seus avós ou pais velhinhos; os visite, ligue para mandar um abraço, passe pra dar um beijo. Eles valorizarão cada pequeno gesto seu, e garanto que quem ganhará mais com isso é você, que terá o coração inundado com um amor puro e incomparável. Olha, acredite, eles fazem uma falta…

Ps: se esse texto um dia chegar a família de Seu Atan, um grande beijo. O mundo precisa de mais pessoas como ele! =)

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: