Trabalhando para ser feliz

JobEsses dias minha mãe me marcou em um texto bárbaro sobre a juventude de hoje em dia, que teoricamente é mais bem sucedida que seus pais e avós, mas não tem nem tempo ou saúde para aproveitar todo esse sucesso. Como comentei no texto em que expliquei um pouquinho da minha terapia, eu percebi a intenção desse texto cedo, com 23 anos. Desde então comecei a mudar minha vida e a maneira que a enxergo.

Apesar de trabalhar bastante para empresas, minha vontade de fazer algo diferente e interessante surgiu quando decidi montar a minha marca e começar o site. Ouvi de muitas pessoas que eu era louca e que não daria certo. Tudo bem, a marca durou 3 anos e infelizmente optei por encerrar; era um enorme problema depender de produção terceirizada, já que não encontrei bons fornecedores. Erro que procurei não cometer com o site.

GirlA vontade de dar certo é tamanha, que mesmo com tantas cobranças, responsabilidades e sacrifícios; você dá o seu melhor. Claro, do mesmo jeito que ser funcionário, tocar o próprio negócio não é fácil; às vezes patinamos, nos enrolamos, mas acredito que a quantidade de trabalho é proporcional ao sonho que você quer que se realize. Vale cada minuto suado quando recebemos um elogio ou acontece a identificação de alguém.

O meu sonho nasceu por não ter me apaixonado por nenhuma área que atuei. Além de não me identificar, o entusiasmo no trabalho durava pouco. Outras pessoas trabalhavam bem, acordavam animadas em plena segunda feira e eu perdida. Nunca me faltou vontade de produzir, muito pelo contrário, a frustração era por não encontrar algo que me encantasse. Já que dor de cabeça faz parte da vida, que a minha viesse por coisas que eu acreditasse, visse valor.

WayAnalisando dessa mesma forma, vi pessoas da minha idade perdendo o brilho, a saúde e os anos. Ser escravo de qualquer coisa, que não seja sua felicidade, é perda de tempo. Assim descobri meu caminho, compartilhando algo relevante à busca dos outros; dividindo inspirações, experiências de pessoas que também tiveram essa dúvida e a maneira que encontraram uma solução.

Numa conversa sobre esse assunto, uma amiga perguntou se eu me arrependia de ter aberto mão de outros trabalhos, de uma carreira, para investir numa jornada arriscada. Expliquei que existem duas formas de analisar a minha escolha. Por um lado, me arrependo quando não tenho dinheiro para fazer uma viagem de Revéillon bacana ou passar um mês de férias no verão europeu; mas passa quando penso nos outros 11 meses do ano, nos quais tenho paz de espírito, bom humor e satisfação em trabalhar bastante. Sem contar que é uma fase, uma hora o trabalho árduo gera lucro, afinal de contas, muita dedicação é necessária em qualquer tipo de emprego, caso o desejo seja chegar a algum lugar longe de onde se está.

Girl Até mudar a minha cabeça e cuidar de fato da minha saúde, perdi as contas das noites com enxaqueca no pronto socorro, crises de gastrite, maços de cigarro, insônia, ganho de peso e problemas de pele, eu tive por stress. Minha realidade começou a mudar quando numa das idas ao hospital, com a imunidade mais uma vez em um nível baixíssimo; escutei de uma médica que deveria rever a minha vida. Naquele momento não entendi tudo, mas pude perceber que algo estava errado. Levava uma vida comum, entre bastante trabalho, prática de esportes e saída com amigas; não encontrava o problema. Demorei a entender que era comigo, minha cabeça não estava ajudando no resto; do que valia um bom dinheiro na conta, se grande parte era destinada a tratamentos estéticos ou médicos?

Levei alguns anos para entender, descobrir e correr atrás do que me traria alegria na vida profissional; consequentemente em todo o resto. Nessa trajetória me tornei mais espiritualizada ainda, firme e bem resolvida. Naturalmente entendi a ordem; primeiro colocar a cabeça no lugar, crescer, escolher minhas lutas e definir meus objetivos, para depois encontrar o que me traria satisfação. Cá estou eu, foi árduo, longo, mas confesso, não me arrependo de nada.

Girl

 

  1 comment for “Trabalhando para ser feliz

  1. 21 de maio de 2015 at 00:14

    Linda! Adorei ter lido <3 (vou até anotar uns trechinhos pra guardar comigo e me lembrar sempre que precisar)

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: